domingo, 14 de agosto de 2016

PARABÉNS RAFAEL TRANCAS - CARTA DE SUA FILHA, LARA VEIGA VICENTE

Hoje era e será sempre o teu dia....
A 14 de Agosto de 1954 nascia em Alcochete Rafael da Silva Vicente, um homem que marcou a festa brava mas acima de tudo marcou a vida de quem com ele cruzou caminho...!!!
Nunca o fiz publicamente mas sinto necessidade de o fazer neste momento,
como tua filha e acima de tudo como mulher, de falar de ti como pai e como interveniente da festa.
Somos seis filhos e eu a mais nova dos três da segunda união, para além de mim só a minha irmã Susana de resto sempre tiveste tendência para rapazes e daí teres quatro homens cada um com o seu jeito e personalidade.
Sabes pai, e falo no discurso directo pois sei e acredito que em algum canto deste nosso quotidiano tu estarás a ouvir, digo-te que sofri e amadureci com a vida que me deste como pai, não foste perfeito, nem lá perto, mas acima de tudo é a ti que devo a minha existência.
Foram muitos anos de revolta a querer um pai presente e esse pai só chegou vinte anos depois e só cá esteve quatro...
Enfim, sem dúvida devemos aproveitar cada momento, pois um dia será tarde.
Sempre foste um homem de garra, de luta, de fé, cada vez que a minha mãe contava histórias de ti e do teu tempo como forcado era como se eu vivesse essas mesmas histórias ali no presente e as sentisse na própria pele.
A vida deu-te o melhor e o pior, sei que viveste intensamente cada momento dela e acima de tudo nunca desististe de viver e querer mais....
Homens com a tua capacidade de força física e psicológica são de louvar, claro que sim ainda para mais nos dias de hoje onde assistimos a um mundo onde o fracasso e a desistência são palavras de ordem.
Rafael da Silva Vicente aquela força da natureza lutou durante cinco anos contra uma doença que o derrubou por imensas vezes, sem dúvida foi o pior toiro que pegaste e acredita pai como aficionada que sou te digo que não foi vivo para dentro apesar de tudo....
Foste um lutador contra uma doença que em momentos derrubou o Rafael Trancas que todos conheciam, aquele homem de força e garra, mas se no chão muitas vezes estavas, também é certo que se mil vezes estiveste no chão, mil vezes também te conseguiste erguer.
Quando a querida Maria João me pediu para falar de ti, tanta coisa me passou pela cabeça,  tanta coisa que queria e achava importante dizer, mas acho que o essencial é fazer lembrar a todos os aficionados que Rafael Trancas apenas partiu fisicamente de certo para um lugar bem melhor que
este que nos encontramos, certa também que estarás rodeado de aficion e salero,  porém será necessário dizer que estarás sempre vivo e acima de tudo lembrado nesta nossa festa brava que digam o que disserem te deve tanto....
E deve porquê??? Simples. Porque foste um homem completo em tudo o que fazias, como equitador,  como forcado,  como picador....
Homem que sabia ver toiros como ninguém, homem que interpretava uma pega, uma lide, que sabia cada músculo e sentido de um cavalo....
Oh pai tanta falta que faz mais homens como tu a esta festa.
Acima de tudo faz falta homens que percebam e respeitem a festa brava.
Obrigada por tudo o que deste a nossa bonita tauromaquia,  por toda a tua
entrega e dedicação, algo que aconteceu até ao último suspiro.
Não poderei escrever estas palavras sem te dizer que foste um lutador e
quando a tua mão apertei naquele hospital um par de horas antes da tua
partida, senti que apesar de fraco fisicamente e caído naquela cama involto
em máquinas,  fios e monitores, nunca perdeste a tua grandeza, sempre
tiveste a jaqueta vestida e o barrete na mão.
Um ano se passou do teu desaparecimento e muitas vezes dou por mim a pensar
quando voltarei a ouvir novamente (mesmo com o esforço de uma voz rouca)
"minha querida como estás? E como estão os meninos?"....
Não desisitirei de o ouvir assim como tenho a certeza que não irás desistir
de mo dizer seja quando e onde for.
Só te peço quando nos voltarmos a encontrar volta a ser o meu pai que me
amou como ninguém nos seus últimos três anos de vida e não aquele pai que
ficou aquém por tantos anos.
Por último te dizer que a primeira pergunta que te irei fazer quando nos voltarmos a encontrar é se estás orgulhoso de mim e do que tenho conquistado nesta tauromaquia que tanto amo e que sei que este amor herdei de ti.
Tento todos os dias ser íntegra a mim mesma, aos meus valores e princípios,  e por isso digo o que penso e não o que desejam ouvir.
Sei que esta veia firme e vincada tem costela tua onde a frontalidade é
permanente e onde não vivemos para agradar ninguém.....
Deixo aqui a promessa que enquanto na tauromaquia andar jamais deixarei que
esqueçam quem foste, o que deste e o que marcaste nesta festa brava.
És um exemplo de profissionalismo e paixão aos toiros e se existe pessoas a seguir nesse campo tu és um deles.
Que este dia seja passado nesses céus cheio de aficion e muita festa brava.
Obrigada Rafael Trancas....
Obrigada Rafael da Silva Vicente...
Obrigada Pai....
Que olhes sempre por nós e que abençoes todos aqueles que pisarem uma praça.
Fazes muita falta fisicamente pois psicologicamente estarás eternamente
presente.
Parabéns Pai e até já.....
Um beijinho da tua querida filha!!!
Lara Veiga Vicente

PS: Este texto foi escrito com uma dezena de lágrimas e uma centena de
sorrisos pois é assim que fala o coração.

 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS