domingo, 2 de outubro de 2016

NOITE MEMORÁVEL NO CAMPO PEQUENO - CRÓNICA POR JOSÉ LUÍS FIGUEIREDO

Ficará certamente para a história, a corrida da passada quinta feira no Campo Pequeno, um cartel totalmente composto por matadores, que resultou num enorme sucesso.
                                               
TOIROS
Qualquer juiz no desempenho da sua função jurídica, atribuiria "pena máxima", aos
exemplares de Manuel Veiga. Foram eles, sem margem para dúvida os principais
culpados do ocorrido, pois para além da boa apresentação, eram portadores do "vírus" necessário ao desempenho da nobre função para que foram carinhosamente criados.

MATADORES
Finito de Córdoba - A lentidão, o temple, a arte com que faz tudo: o passeio, as faenas,as voltas de agradecimento, é pura magia, tal como foi mágica a faena da noite, no seu segundo, faena essa que a par da de Morante, aquando a sua presença na catedral encheram a alma aos puristas.
Padilla - É o novo ídolo da aficion lisboeta, diria mesmo da aficion lusa, tal como demonstra a legião de seguidores que o idolatra. A frase "El sufrimento és parte de
la glória", assenta-lhe como uma luva, "alheio" ao perigo Padilla é de uma entrega
arrepiante, a forma como recebe os toiros de afaroladas, como inicia as faenas de
muleta, de joelhos em terra, desenhando longas séries de derechazos ligados e
arredondados "agarram" de imediato os aficionados, depois é um desfilar de séries
mandonas por ambos os lados, remates, desplantes, enfim um "imenso mar" de coisas belas. A tudo isso Padilla junta o facto de ser fabuloso no tércio de bandarilhas bem tão do agrado da aficion portuguesa, diria mesmo que está neste toureiro " a chave"  para o renascer da paixão pelo toureio apeado em Portugal.
Manuel Dias Gomes - Alternava com dois monstros do toureio mundial, porém tal facto não o inibiu e perante o seu primeiro toiro, algo difícil, com investidas intempestivas, esteve seguro e esforçado, desenvolvendo uma faena bem conseguida. No ultimo da corrida, após excelente tércio de capote, ofertou-nos uma excelente faena de muleta, a lentidão e arte com que desenhou as artísticas séries de derechazos e naturais dão-lhe (também a nós) razões para sonhar.
Que Deus o acompanhe.

                                                BANDARILHEIROS
Cláudio Miguel, Joaquim Oliveira e João Ferreira são de nível mundial, tivessem eles
a sorte, de integrar a quadrilha de uma figura em Espanha e ficariam certamente com o seu nome gravado a letras de ouro.

ROGÉRIO JOIA (director de corrida) - Aficion e sabedoria em perfeita simbiose. Também ele um triunfador.

José Luís Figueiredo

 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS