terça-feira, 16 de maio de 2017

CRÓNICA DE SALVATERRA - POR JOSÉ LUÍS FIGUEIREDO

Dando continuidade ao excelente trabalho anteriormente desenvolvido na recolocação da praça de toiros de Salvaterra em lugar de destaque no
calendário taurino,  a empresa de Rafael Vilhais apostou forte num concurso de prestigiadas ganadarias, rematado com um cartel enorme interesse. 
Foram lidados toiros de Miura - manso,  pouco colaborante e cheio de sentido devido à idade.
Palha - encastado com boas condições para a lide.
Veiga Teixeira - poderoso, a investir forte
mas pelo seu caminho. 
Murteira Grave - excelente apresentação, 
bravíssimo, justo vencedor dos troféus
(apresentação e bravura) em disputa. António Silva - boa apresentação mas um pouco andarilho.
Ernesto Castro - um autêntico boi.

CAVALEIROS
António Telles - O maestro da torrinha sentiu algumas dificuldades no de Miura
demasiado avisado, cheio de sentido e a adiantar-se. No de Grave um toiro de campeonato António esteve soberbo na brega e na ferragem, com cites frontais bem á sua imagem,  foi a par do ganadero o triunfador da tarde.
Filipe Gonçalves - Muito bem no seu primeiro, um Palha encastado e colaborante, a cravar ferros de enorme emoção a "mexer" com a bancada, saiu no momento certo resistindo ao mais um.
No segundo, com ferro de António Silva, algo andarilho que não se fixava, Gonçalves sentiu dificuldades em acertar
as distâncias. 
Francisco Palha - Jogou forte, arriscou. Fazer uma sorte de gaiola, a um toiro de Veiga Teixeira com mais de 600 quilos, não é propriamente algo ao alcance de qualquer um. 
Francisco arriscou e colocou um comprido de antologia, daqueles para mais tarde recordar mas pagou caro a ousadia, na recarga o toiro colheu violentamente a montada e o toureiro junto à trincheira e foi com enorme sofrimento que Francisco Palha cumpriu a sua tarefa.

AMADORES DE SANTARÉM
João Grave numa atitude de registo, (à cabo), chamou a si a responsabilidade de
enfrentar, o intratável Miura, esteve valentíssimo nas cinco tentativas que executou com o senão de nunca mudar os terrenos. 
Rubem Geovetti, bem á segunda após uma primeira tentativa em que se adiantou na reunião. 
Francisco Graciosa muito bem a citar, a templar e a reunir.

AMADORES DE LISBOA
Vítor Epifanio foi violentamente derrotado ficando inanimado, Duarte Mira num gesto só ao alcance dos predestinados pegou no barrete e com uma bem evidente tranquilidade enfrentou o hastado, executando uma pega de enorme perfeição. 
Pedro Gil pegou ao primeiro intento.
João Varandas bem em ambas as tentativas, pegou à segunda o tal boi de Ernesto Castro. 
Durante a corrida foi prestada homenagem ao Exmo Sr. João Ramalho ilustre ganadero,  distinto aficionado e antiga gloria dos força dos amadores de Santarém.

José Luís Figueiredo

 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS