terça-feira, 16 de maio de 2017

VALENCIA DE ALCANTARA - Uma orelha (com petição de segunda) para João Moura Caetano e Forcados de Arronches cativam os espectadores


TEXTO E FOTOS - FERNANDO MARQUES 
A povoação fronteiriça de Valencia de Alcantara (Espanha) festejou ontem, como aliás todos os anos, o seu Padroeiro San Isidro. Chulapas e chulapos vestem-se a rigor em honra do patrono dos agricultores desta região. A tudo isto está sempre aliado o espectáculo dos touros que, este ano, teve um cunho diferente. 

O Ayuntamiento de Valencia de Alcantara que patrocina a corrida e a empresa organizadora, montaram um Festejo de Rejones Hispano - Luso, no qual incluíram o Cavaleiro João Moura Caetano e o rejoneador Manuel Moreno, na lide de reses de Monteviejo (Vitorino Martín) os Forcados Amadores de Arronches e os Recortadores “Arte Charro”.
Numa tarde de muito calor a sombra repleta (com muita presença de portugueses) e só os valentes ousaram sentar-se nas bancadas de sol.
Abriu a corrida João Moura Caetano com o único touro, já que os restantes eram novilhos. Não foi fácil o primeiro de João Moura Caetano que procurou as tábuas, não se empregou na lide e João Moura Caetano ficou-se pela ovação depois de desmontar para descabellar. Já com o segundo João Moura Caetano subiu o nível da sua prestação em dois ferros curtos a receber ao estribo e na colocação do ferro curto (rosa) muito ajustado. Mais certeiro com os aços cortou uma orelha com petição da segunda.
Manuel Moreno é um rejoneador em início da longa aprendizagem. Mostrou algumas carências na eleição dos terrenos mas ajustou-se em algumas reuniões. Como todos os rejoneadores montou o número de que o público tanto gosta mas, não foi o suficiente no primeiro do seu lote em que escutou leves aplausos e cortar uma orelha ao seu segundo, um tanto ou quanto "pueblerina".
Ao público chegaram com força o estoicismo dos Forcados de Arronches com uma pega à terceira por Ricardo Martins (o touro) que colocava a cara muito em baixo e dificultava a reunião. No segundo foi uma pega à primeira através de João Rosa que colocou os espectadores em pé nas bancadas.
Dizia-me uma colega da televisão de Cazalla: "Estes chicos portugueses tienen un par de cojones que no veas..."
Igualmente a destreza e agilidade dos recortadores Arte Charro tocou os aficionados ao executarem o salto da Garrocha e o sempre espectacular Salto del Angel. O cante flamenco escutou-se na praça com Pedro Peralta e Perice de La Paula, animando as actuações dos intervenientes.
Um espectáculo diferente que uniu os dois lados da fronteira para assinalar o San Isidro que é festejado em muitos locais da vizinha Espanha, inclusive Madrid onde é dia feriado. 

GALERIA FOTOGRÁFICA























 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS