terça-feira, 27 de junho de 2017

CRÓNICA DE ALCÁCER DO SAL - POR JOSÉ LUIS FIGUEIREDO


No passado dia 23, a castiça praça de toiros, João Branco Núncio em Alcácer do Sal abriu portas à tradicional corrida de S.João levada a efeito pelo aficionadíssimo e competente empresário Vasco Durão.  
Um cartel bem interessante composto pelo maestro da torrinha António Telles que esta temporada resolveu "apertar" com os colegas, Filipe Gonçalves toureiro valente e arrojado que com frequência "assusta" o
público e Luís Rouxinol Jr. cuja juventude e irreverência anda de mão dada com toureiria. 

Dois grupos de forcados de primeira água Montemor e Évora comandados respectivamente por António Vacas de Carvalho e António Alfacinha que no próximo dia 30 em Évora porá termo a uma brilhante carreira de forcado . Um elenco de luxo para enfrentar um excelente curro da ganadaria Pinto Barreiros que à excepção do terceiro da ordem que se adiantava barbaridades "serviram" muito bem, especialmente o quinto que era de "campeonato"
            
CAVALEIROS
António Teles  - Em temporada triunfal, António ministrou duas consistentes lides, onde a maestria e saber foi
constante, na brega, preparação de sortes e execução das ditas. Em grande forma António Telles é neste momento sinónimo de triunfo.  
Filipe Gonçalves - Irregular no primeiro onde alternou o muito bom (1°curto) e o menos conseguido, redimiu-se
no segundo, com uma boa actuação, obtendo ferros de belo efeito onde a emoção marcou presença, terminou a lide com um violino, seguido de um de palmo montado no cavalo do número (bate palmas) bem do agrado dos
espectadores.  
Luís Rouxinol Jr. - Valentíssimo no primeiro que se adiantava barbaridades por ambos os lados, não permitindo
ao toureiro grande luzimento, no segundo, um excelente toiro, Luís André esteve muito bem nos compridos, veio a menos nos curtos, montando um cavalo novo que não esteve colaborante, mas foi "sacar" o Douro o cavalo
vedeta da quadra e aí sim esteve ao nivel (muito bom) a que já nos abituou. 

FORCADOS
Pelos Amadores de Montemor, foram solistas Bernardo Dentinho, António Pina (grande pega) e o novato Miguel Cecílio que a jogar em casa (é de Alcácer) esteve algo nervoso mas determinado.  

Pelos Amadores de Évora a maestria desceu à arena através do veterano Manuel Rovisco que "explicou" aos mais novos (penso que não o entenderam) como se pegam toiros. Olé forcado. 
Nos restantes toiros foram caras Ricardo Sousa e Miguel Direito.
Ambos os grupos estiveram bem nas ajudas.

José Luís Figueiredo
 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS