domingo, 4 de junho de 2017

CRÓNICA DO FESTIVAL DE BENCATEL - POR MARIA JOÃO MIL-HOMENS



Uma crónica, será sempre e apenas a visão de quem a escreve, e nunca a opinião da generalidade das pessoas. 
Sou "novata" nestas andanças, mas até acho alguma graça de vez em quando mandar uns "bitaites".

Ora a tarde estava quente, não em demasia, mas agradável e alguma coisa me dizia que seria um bom espectáculo, apesar de, à partida não ser um dito cartelazo de figuras. 

Estava tremendamente curiosa em ver a Sónia Matias neste inicio de temporada, e continuo curiosa.
Alguns ferros de boa nota, porém na sua grande maioria terminaram com toques na montada, um toiro duro que se adiantava, mas ao qual Sónia deu a lide possível. 


Pelo Grupo da casa, uma pega dura a um toiro definitivamente complicado, mas se o toiro não colaborou, o grupo falhou nas ajudas, na primeira tentativa, o forcado Tiago Malato, deu tudo e podia dali ter saído uma valente pega. Ora uma vez falhada, foi um problema concretizar, só se concretizando à quinta (5ª) tentativa e a sesgo. Valente este forcado.
Ana Batista, já não seria uma estreia esta temporada vê-la tourear, mas gosto sempre da elegância e o sorriso, mesmo quando as coisas não lhe correm de feição. Outro toiro difícil, mas Ana, numa lide em crescendo, soube desembaraçar-se da quezília com o seu oponente.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Cuba, Gonçalo Marcelino, numa pega "simples" onde o toiro já visivelmente cansado, não deu muito que fazer, concretizou à primeira tentativa. 
Tiago Carreira, também aqui iniciou a sua temporada, certinho e a interagir com o público, Tiago cresceu e apesar de aparecer pouco (mal comum a muito bom toureiro), teve uma boa actuação. O público gostou e eu também. 
Pelo Grupo da casa, pegou numa única e valente tentiva, o forcado Joaquim Domingos, bem o grupo coeso e a ajudar no tempo certo. (ouviram as sábias ordens do cabo Ivo).

Não posso deixar de vos contar uma situação a que assisti via "ouvido"... 
Ah e tal a tauromaquia é para pessoas barbaras e tal... e é prejudicial às crianças... dizem os nossos amigos e publicitários anti-taurinos, pois eu hoje ouvi, passou-se mesmo nas minhas costas e apesar de ter tido curiosidade em olhar, contive-me, pois a verdade é que ali percebi que não era importante quem o fez, pois todos ali o devem fazer garantidamente. Durante uma lide, alguém (a fazer-me recordar os meus tempos de escola, onde a educação que os meus pais me deram, se punha em uso, ou tínhamos umas réguadas de troco)  disse: Meu cabo, posso ir à casa de banho?  Pergunta à qual o cabo respondeu afirmativamente. 


É simples não é? Tão irrisório, mas tão importante. Formar jovens na educação, é fundamental e preciso. E desculpem o meu à parte, mas não quis deixar de partilhar convosco, porque achei bonito. Parabéns ao Grupo de Bencatel. 
Bom e voltando à vaca fria, que é como quem diz, ao toiro. 

Verónica Cabaço foi a cavaleira que se seguiu, mostrou na Azambuja que está cá e que podemos e devemos contar com ela, mas infelizmente desta vez, não teve tanta sorte... Alguém que resolveu ser "treinador de bancada" ou quiçá, forcado de bancada, já que este mesmo senhor resolveu citar o toiro da bancada, auxiliando a tarefa com a mão no cimento da trincheira inexistente da arena, e o toiro que era belissimo e que se arrancava de todos os lados, obedeceu, indo marrar no cimento, ou seja, por azar, partiu um corno, ficando inutilizado. Verónica teve apenas a oportunidade de cravar os dois ferros compridos. 
Pega inexistente por consequência. 

Por falar em bons toureiros que toureiam pouco... 
David Gomes, vinha determinado a re-provar o que teria provado na Chamusca, e mal entra, (isto correu bem) o toiro embate num burladero e desembola-se.  Ora toiro para dentro, voltam a embolar o toiro e lá vem ele cheio de crenças na porta dos sustos... Apesar deste percalço, o ginete da Malveira deu a volta e com que classe, ao toiro. Ferros belissimos e tudo a correr bem, nem um toque na montada, nem um ferro mal colocado, nada, irrepreensível a actuação de David Gomes. Como se não bastasse, este Senhor, foi um verdadeiro Gentelman e um colega de verdade, pedindo ao Diretor de corrida, Agostinho Borges, se poderia convidar Verónica Cabaço a colocar um ou dois ferros. 
Autorização concedida, e Verónica pode cravar um ferro divino, Parabéns Verónica e definitivamente Parabéns David Gomes pela gigante actuação, e pela tão nobre atitude. Sorte para a mini-temporada na Califórnia. 

Por Cuba, Tiago Viegas numa rija pega e bem ajudado pelo grupo, concretizou à segunda tentativa. 
Deram volta os três artistas da última lide da tarde. 
Bem dirigida por Agostinho Borges e Parabéns ao valoroso grupo de Bencatel que apesar de todos os contratempos, tiveram a cabeça no lugar e tudo acabou por correr de feição.
Maria João Mil-Homens




 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS