sábado, 5 de agosto de 2017

MARCOS BASTINHAS TRIUNFA NO REDONDO.


O Coliseu do Redondo encheu para receber um cartel que se adivinhava de competição, jovem, com 3 cavaleiros de dinastia, certamente dispostos a evidenciarem todos os seus méritos toureiros e conquistarem o publico. Assim sucedeu, pese o facto do mau jogo dos pupilos de Varela Crujo, com idade, de bonita apresentação e rematados de carnes. No entanto quanto a bravura a história foi bem diferente, sendo o pior da corrida, o lidado em quinto lugar por João Telles jr,  ora adiantando-se ao cavalo ora esperando pela montada sempre com más intenções. Marcos Bastinhas abriu o espectáculo e de imediato viu-se ao que vinha: construir uma boa lide frente a um toiro que cedo de parou. Daí a forma como mexeu no toiro, não o deixando descair para tábuas, sacando-o para terrenos dos médios e depois de frente em terrenos de muito compromisso cravou a cambio a ferragem curta, que resultou cingida merecendo a musica e os aplausos do publico. No quarto da ordem, não menos difícil que o primeiro do seu lote, deu distancias ao toiro, citou de praça a praça e deixou sempre partir primeiro o seu oponente, reunindo ao estribo fazendo tocar a musica após o primeiro ferro curto. Encerrou a sua actuação com um bom par de bandarilhas. Duas actuações na medida certa, que lograram o êxito, premiadas com volta á arena e os justos aplausos do publico. João Telles não quis ficar atrás do seu companheiro de cartel e também ele logo nos compridos chamou a atenção e as palmas do publico, nos dois compridos que cravou, esperando o toiro de largo, deixando descair a montada e com ligeira batida cravar ao "estilo Moura Caetano". Nos curtos, apesar de bons momentos, não conseguiu redondear a lide, com uma ou outra reunião menos consentânea, mas que na sua globalidade mereceu as palmas da assistência. Frente ao quinto da noite, um manso perigoso, a trincar por todos os sítios possíveis e imagináveis, Telles jr apesar de todo o seu empenho e demonstração de valentia, prolongou em demasia lide, expondo-se a diversos toques, o que nada acrescentou á sua actuação. Duarte Pinto com o seu toureio muito numa linha clássica, mas que o cavaleiro sabe fazer chegar ao publico, com a comunicabilidade que mantém com este, também não teve tarefa fácil no seu lote. Bem a lidar e nos remates, abriu em demasia os quarteios havendo alguns ferros cujas reuniões foram menos ajustadas. Certamente as lides teriam tido uma outra dimensão. Alcançou os seus momentos mais brilhantes, quando dos ferros curtos no toiro que encerrou a corrida. Quanto ás pegas os Grupos de Forcados Amadores de Portalegre, Monforte e Redondo tiveram desempenhos muito equitativos, sendo no entanto quanto a nós a pega de João Pereira dos Amadores de Monforte, mesmo sendo ao segundo intento, com o forcado a fechar-se com decisão na cara do toiro, aguentando uma investida dura e suportando fortes derrotes. No final o troféu para a melhor lide coube a Marcos Bastinhas, enquanto para a pega coube a Luís Messias dos Amadores do Redondo. Dirigiu com tranquilidade o senhor Marco Gomes.

                                                                                         Luís Pessoa





 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS