segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A PEGA QUE JAMAIS IREI ESQUECER - FERNANDO QUINTELA


Não sei lidar com estas coisas... Não consigo enfrentar a morte em quaisquer circunstâncias, não me adapto, por mais que o tempo passe, e nunca acredito que foi porque tinha que ser, que é esta coisa do destino e que temos que nos conformar. 
Sou mãe, e não consigo nem quero, confesso, nunca imaginar, o que estarão os pais deste nosso menino, a sentir. Uma sensação total de desespero e de impotência, o que todos sentimos...
Estava na moita, nesta sexta feira, quando depois da primeira pega do Grupo de Alcochete, me cheguei aos "meus" meninos, que sempre tanto me mimaram e por quem nutro para além de uma grande admiração, uma grande amizade, falava eu com os meninos, e perguntava, o que os movia, porque não ganham dinheiro, e ainda levam uma data de mazelas para casa e para a vida... 
Diziam-me, entrando na brincadeira, que só pegavam toiros porque cada um ganharia no mínimo 5000€, então eu respondi que assim já entendia porque havia tanto forcado e tanto orgulho em ser-se forcado. 

Já depois disto, e depois de na noite anterior ter assistido a 6 pegas duríssimas, onde felizmente nada de grave se passou, que confesso que desvalorizei a queda do Fernando... 
Achei que dali a um bocadinho ele voltava para junto dos seus "irmãos"....

Fernando, esqueceste-te de dar a volta à arena, estamos todos aqui à espera para te aplaudir e ver o teu sorriso franzino... fazes tanta falta...

Maria João Mil-Homens














































 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS