quarta-feira, 20 de setembro de 2017

CORRIDA DE TRIUNFADORES E TRIUNFOS EM PORTALEGRE - CRÓNICA


É certo que uma crónica tem que ser mais atempada, logo após a corrida, no dia seguinte no máximo, mas derivado aos últimos acontecimentos, permiti-me escrever apenas hoje, que já estou mais calma e serena.
E com todos estes acontecimentos, andamos todos apreensivos com as corridas, com cada toque do cornetim, a cada vez que um forcado salta à arena.
E em Portalegre não foi excepção, aliás, mais ainda, pois na noite anterior, (para mim ainda a noite seguia, pois dormir foi algo que não consegui fazer) tínhamos perdido um dos nossos, e isso é impossível não marcar, estávamos todos muito apreensivos depois dos tristes acontecimentos dos últimos quinze dias.
Estava demasiado preocupada, demasiado angustiada e nervosa.
E esta corrida era repleta de emoções ainda que não tivesse acontecido o que aconteceu, na noite de sexta feira na Moita...
Desde os mais recentes empresários, o Grupo de Forcados Amadores de Portalegre, em especial ao "Kiko" Francisco Paralta, aos Ganaderos que tanto adoro e admiro, Irmaõs Moura Caetano e Paulo Caetano, a família Caetano "toda sem excepção", os cavaleiros todinhos... o diretor de corrida Prof. Marco Gomes, e até o meu querido amigo Hugo Teixeira que foi o locutor de serviço, tudo estava pronto para uma tarde que só podia ser perfeita.
Mas vamos por partes, primeiro a homenagem, justa e merecida, três das maiores e mais marcantes figuras da nossa tauromaquia, ou alguém acredita que haja quem não conheça o Maestro João Moura, o Carismático Joaquim Bastinhas e o brilhante Paulo Caetano? Impossível, todos eles cada um ao seu estilo, são e serão os melhores e todos os conhecem. De lamentar que todos os esforços feitos por quem de direito para descerrar a placa alusiva ao acontecimento, não pudesse ser feita no pátio de quadrilhas, porque de facto este acto "apenas" engrandecia e enriquecia a praça. 
Ainda assim, foi descerrada na tertúlia do GFA Portalegre, como aqui mostrámos anteriormente. E por isso há que dar dos Parabéns aos organizadores e mentores da ideia que foi brilhante, o Grupo de Forcados A. de Portalegre, que para além disto, não baixou os braços e defendeu a praça da sua terra, que iria por mais um ano ficar fechada na já tradicional feira das Cebolas. E apesar de decorrer uma feira de gado, com alguns atractivos há mesma hora da corrida, a praça registou uma boa meia entrada, o que em Portalegre é uma vitória. E aqui já temos um Triunfo e um triunfador.
Depois, temos os Ganaderos, os três primeiros toiros da ganadaria de Irmãos Moura Caetano, todos eles a dar um bom jogo e a permitir aos três cavaleiros e forcados, os triunfos que desejavam, com especial destaque para o primeiro do lote que abriu praça com um Triunfo gordo para João Moura Caetano que nos presenteou com uma lide inesquecível logo a abrir praça, volta para cavaleiro e maioral, o cavaleiro de Monforte subiu muito a fasquia logo à entrada, e não deixou a tarefa dos seus colegas/alternantes, nada fácil...
E quando se achava que seria difícil superar os primeiros três brilhantes toiros, eis que saem à arena mais três Tios da ganadaria de Paulo Caetano, que foi inclusive chamado a dar volta à arena ao quarto e quinto toiro da já quase noite. O quinto toiro em especial, foi um daqueles que nos fazia ali estar a ver tourear por toda a tarde/noite, claro que teve que ter um toureiro à altura, e Marcos Bastinhas esteve brilhante, armou um "taco" ou partiu a loiça, foi um daqueles momentos que jamais esquecemos pela positiva. Aqui tenho que dar uma nota menos positiva ao público da Praça de Toiros José Elias Martins, em Portalegre, quando o diretor de corrida, já atrás referido, Professor Marco Gomes, decidiu e muitíssimo bem, premiar o nº 21 da ganadaria de Paulo Caetano, com merecida volta à arena. O estranho é que apenas uma dúzia (e quando digo uma dúzia não é exagero), de aficionados entenderam o que ali se passava e aplaudiram o Tio da Ganadaria Caetano. Não posso também deixar de referir a tamanha emoção vivida após a brilhante lide do cavaleiro de Elvas, Marcos Tenório, quando seu pai, o cavaleiro Joaquim Bastinhas, (graças a Deus recuperado do acidente de que foi vitima há cerca de dois anos, na sua herdade em Elvas) salta à arena para abraçar e congratular o seu filho pela inesquecível lide.. Já fazia falta ao maestro de Elvas o carinho do público, e o publico já sentia falta dele também. 
Miguel Moura acusou o peso da responsabilidade e dos alternantes ao mais alto nível com quem tinha que competir, tendo cravado ferros de muito valor e emoção, mas levando alguns toques na montada e alguns ferros que ficaram menos bem colocados no toiro. 
Pelas ramagens, mais triunfos, pelos da casa e todos ao primeiro intento, foram solistas André Neves que brindou a pega aos maestros homenageados, Nelson Batista, e António Cary. 
Pelos de Coimbra, João Eusébio ao segundo intento , Pedro Silva, que também ele brindou aos Maestros e Rodrigo Desidério ambos ao primeiro intento. Todas as pegas foram bem executadas e "tranquilas". 
Portalegre já merecia um corridão destes e os aficionados também. Glamour e emoção, voltaram à cidade de Portalegre.  
Maria João Mil-Homens
 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS