terça-feira, 5 de setembro de 2017

CRÓNICA DA CORRIDA DE MONTEMOR - POR JOSÉ LUIS FIGUEIREDO


O Chavão praça cheia, assenta que nem uma luva à castiça praça de toiros montemorense, pois é o que acontece todos os anos no emblemática corrida de Setembro integrada na tradicional Feira da Luz, claro que tal facto não é obra do acaso, é sim fruto do dinamismo, aficion e competência da dupla empresarial Simão Comenda e Paulo Vacas de Carvalho que ano após ano "levam" a Montemor figuras máximas do toureio a cavalo, toiros de verdade que impõem respeito a toureiros e forcados, neste caso os Amadores de Montemor que nutrem por esta corrida um sentimento especial.
CAVALEIROS
António Telles - Imponente no primeiro, com ferros à António Telles e uma brega maestra bem ao agrado dos aficionados, no segundo recebeu à porta da gaiola aguentando a forte investida do toiro, não permitindo a intervenção dos bandarilheiros, o primeiro comprido foi de parar o coração, depois a lide veio a menos o que levou o António, apesar da insistência do publico a recusar a volta à arena... OLÉ.
João Moura Jr. - Duas excelentes actuações bregas envolventes, bem ligadas, sem toques e ferros de elevada performance artística rematados com piruetas e outras "pinturas" levou a bancada ao rubro.
João telles Jr. - Tal como os alternantes, também ele em temporada de ouro esteve bem no primeiro que lidou, mas foi no segundo que "partiu a loiça" com
ferros de "assustar", coroando superiormente bregas de elevado conteúdo artístico. 
FORCADOS
Enorme triunfo dos Amadores de Montemor nesta "sua" corrida de toiros. Foram solistas, António Vacas de Carvalho muito bem, Tiago Telles de Carvalho bem, Francisco Borges um pegão, João da Camâra só à terceira foi o forcado que conhecemos, Manuel Dentinho muito bem e Francisco Bissaia Barreto que fechou com chave d'ouro, a triunfal tarde do seu grupo que esteve em evidência nas ajudas, uma palavra para os "regressados" por um dia que provaram na arena perante toiros de verdade a razão porque deixaram saudades.
TOIROS
De excelente apresentação e bravura quanto baste, os exemplares de António
Silva, que foram primorosamente recolhidos a cavalo pelos maestros Janita e
Café foram o mote para uma grande tarde de toiros. também José Henriques o cornetim de serviço com classe e humildade voltou a "explicar" o porquê de ser o melhor.
A corrida foi dirigida e muito bem por Agostinho Borges e Dr. Feliciano Reis
antigos forcados montemorenses.

José Luís Figueiredo
 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS