terça-feira, 5 de junho de 2018

Crónica da corrida de ontem em Alenquer

No passado domingo viajámos até Alenquer, a aficionada vila presépio, afim de assistirmos a uma corrida de toiros.

TOIROS 

Foram lidados seis exemplares de JOÃO RAMALHO, bem rematados mas pequenos, porém fartos em bravura e nobreza.


CAVALEIROS 

O cartel era composto pelos cavaleiros 


PAULO JORGE SANTOS, pouco visto em Portugal, mas a tourear bastante em terras de "nuestros hermanos", esteve desembaraçado com duas actuações limpas que agradaram ao conclave. 


MARCOS BASTINHAS embalado nos recentes triunfos, esteve bem no seu primeiro, mas foi no segundo que o triunfo soou forte, excelente  brega e ferros com tempos bem marcados que empolgaram a assistência.


DUARTE PINTO actuação triunfal no

primeiro, no segundo baixou um pouco a nota mas mesmo assim de elevado teor

artístico.


FORCADOS 

As pegas estiveram a cargo dos Amadores de Alenquer, um grupo não 

associado. Não entendo (não tenho estudos para tal) a razão pela qual estão impedidos de dar largas à sua aficion. O que eu sei, porque assisti, foi que em seis pegas cinco foram tecnicamente perfeitas com os caras a citar, recuar e reunir na perfeição, com o grupo a ajudar bem. Vi forcados a mandar nas investidas, a templar, a tourear (trazer) os novilhos. Vi forcados a perfilar-se com os novilhos, dando passos em frente sem a famigerada "martingala" do passo ao lado. Vi forcados a compor a imagem para a volta à arena. Enfim vi jovens valorosos e com " pernas para andar ".


Ah!... eram novilhos, eu sei. São os toiros que mandam os forcados " para casa" 

totalmente de acordo. Só que nos últimos tempos os toiros têm mandado para casa muitos dos ditos associados e eles continuam por aí.

Um abraço 


José Luís Figueiredo 


Foto: D.R. - Emílio de Jesus/farpasblogue

 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS