sábado, 18 de agosto de 2018

CRÓNICA - PRAÇA DE TOIROS DE ALCOCHETE XXXVI CONCURSO DE GANADARIAS - POR JOSÉ LUIS FIGUEIREDO


O tradicional concurso de ganadarias, foi como é de conhecimento geral, uma criação do malogrado empresário alcochetano  António Manuel Cardoso "Néné" já lá vão trinta e seis edições e é hoje, a par com o concurso de Évora, o mais importante no panorama taurino nacional, a empresa Toiros & Tauromaquia dirigida por Margarida e António José, filhos de saudoso Néné, decidiram e bem, que o concurso de ganadarias, fosse de homenagem ao seu progenitor, o grande "culpado" de a castiça praça de toiros e a sua feira do toiro - toiro estar no topo das preferências  da aficion nacional.

TOIROS 
Foram a concurso as prestigiadas ganadarias Condessa de Sobral, António Silva, Vale Sorraia, São Torcato, Ascensão Vaz e Canas de Vigouroux, toiros de imponente apresentação, em Alcochete é uma obrigatoriedade, porem em matéria de bravura ficaram aquém do desejável.

CAVALEIROS 
Num cartel onde pontificavam os consagrados António Telles e Vitor Ribeiro, foi o novato Francisco Palha em
temporada triunfal que "armou o taco" com ferros que fazem a diferença.

FORCADOS EM TARDE DE EMOÇÃO 
O concurso de ganadarias de Alcochete é desde sempre a corrida dos Amadores que nutrem pela mesma, um carinho especial.
No passado domingo para além do habitual "peso" desta corrida outros acontecimentos houve que fizeram com
que a emoção fosse constante, desde logo com a homenagem a Néné um forcadāo de eleição, que até à hora de "partir" honrou sobremaneira à jaqueta dos Amadores de Alcochete, seguiu-se o emocionante brinde aos céus, de António José, filho de Néné o "escolhido" para pegar o primeiro toiro. Após a concretização da pega, António José solicitou a presença na arena de João Rei fabuloso primeiro ajuda, que sempre esteve a seu lado dentro e fora das arenas... bonito e emocionante. 
De enorme simbolismo foi também o brinde de Nuno Santana a André Pinto Tavares  (que estava de partida).
A emoção continuou com o brinde de Manuel Pinto a João Quintela ex forcado dos Amadores e  pai de Fernando Quintela  colhido mortalmente por um toiro quando honrava a jaqueta do seu grupo. 
Na retina  ficou também  a estrondosa e demorada  ovação concedida a João Reis após  (mais uma) primorosa primeira ajuda. Mas...havia mais, a emoção continuou quando os presentes perceberam que esta era a despedida das arenas de André Pinto Tavares que foi, que me perdoem os enormes forcados que conheci apenas e só... O melhor segundo ajuda que conheci em toda a minha já longa caminhada como aficionado, com ele os toiros NUNCA fugiram ao grupo.
Enfim uma tarde em que a emoção esteve sempre presente. 

Um abraço 


José Luís Figueiredo 
 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS