segunda-feira, 30 de setembro de 2019

A DESPEDIDA DE MÁRCIO CHAPA - MONTIJO POR - JOSÉ LUIS FIGUEIREDO


A monumental do Montijo, foi no passado sábado, o local escolhido por MÁRCIO CHAPA, forcado de elevado patamar para o seu adeus às arenas, fê-lo na "sua" já tradicional corrida das TERTULIAS MONTIJENSES, evento ao qual tem fortes ligações. Apesar da saudosa rivalidade, que no meu tempo existia entre o "meu" grupo e o do Márcio sempre pautamos, um respeito mutuo e profunda amizade, MÁRCIO CHAPA, foi sempre fiel ao seu grupo resistindo a diversos convites, como cabo fez verdadeiros milagres para manter o grupo com razoável actividade, o que num grupo sem apoios é obra de registo. Vai deixar saudades. Foram lidados toiros de Prudêncio, Vinhas, Fernandes Castro, José Palha, Santos Silva e Alves Inácio. de elogiável apresentação em matéria de bravura o destaque vai para o de Fernandes de Castro. Os cavaleiros Rui Salvador, Luís Rouxinol e Gilberto Filipe tiveram prestações positivas. As pegas estiveram a cargo dos grupos da Tertúlia T. do Montijo, Amadores do Montijo e uma selecção de amigos do Márcio capitaneados pelo seu antigo cabo Luís Branquinho.

Um abraço
José Luís Figueiredo  

DE PRAÇA EM PRAÇA - CAMPO PEQUENO - POR JOSÉ LUIS FIGUEIREDO


No ultimo fim de semana, muitos foram, os eventos taurinos levados a efeito, muitos dos quais, em locais próximos e em horário simultâneo, algo que (penso eu) merece reflecção. Como não possuo o dom, ao contrário de outros, a julgar pela forma como opinam, de estar no mesmo momento em lugares diferentes e porque em todos, havia bons motivos para marcar presença, optei pela proximidade, afim de poupar uns trocos. CAMPO PEQUENO - A monumental lisboeta, abriu portas para comemorar e homenagear o Grupo de forcados AMADORES DE LISBOA, formado há 75 anos pelo inesquecível, NUNO SALVAÇÃO BARRETO, verdadeira enciclopédia da arte de bem pegar toiros, serviço impagável prestado à cultura e tradição lusa. Foi com enorme felicidade que revi na arena e bancadas, Carlos Serra, Eurico Lampreia, José A. Batista, Horácio Lopes, José L. Canelas "Cabeção", José P. Faro, Luís Benard, Raposo, "Manel dos Peros", João Joaquim, Calado, David Campos "Vira", Rijo Pinto, Quim Zé Penetra, entre muitos outros, verdadeiros monstros da forcadagem, que apesar de militarmos em grupos diferentes, muito contribuíram, com os seus exemplos e ensinamento, para a enorme paixão ( doentia mesmo) que nutro pela arte de bem pegar toiros. Uma palavra para o "jovem" José Luís Gomes que aos 64 anos, saltou à arena, tranquilamente e de técnica apurada, deu o exemplo aos actuais forcados. Foram lidados seis toiros, com a divisa de Pinto Barreiros, que à excepção do ultimo foram bem à medida para um dia de enorme festividade. João Moura Jr., João Telles e Francisco Palha voltaram a justificar o apodo de triunfadores da temporada.

Um abraço
José Luís Figueiredo 

GALERIA DO SOCIAL DO MONTIJO

















































































 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS