segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

E MOURÃO... VAI POR TI MEU ZÉ! PORQUE QUEM NÃO SE SENTE...



A abertura da temporada portuguesa, é tradicionalmente em Mourão, no dia 1 de Fevereiro, seja lá isto a que dia da semana for. Este ano foi a um sábado e para o próximo ano calha a um Domingo, o que nos faz antever novamente uma enchente. 
Após alguma confusão nas bilheteiras, porque alguns aficionados que ainda tentavam conseguir um bilhete para o espectáculo, não se lembraram antecipadamente que este ano o dia 1 de Fevereiro calhava a um sábado... lá nos focámos no não menos tradicional piquenique à volta da praça de toiros. 
Foram muitos, mesmo muitos os que este ano se juntaram ali, numa alegre e bem regada tertúlia. 
Toureiros, forcados, ganaderos, empresários diretores de corrida, veterinários e os comuns aficionados, todos levámos uma "bucha" para podermos matar as saudades que já apertavam. 
Não faço ideia se os restaurantes estavam lotados, porque quando sai de casa já levava o farnel para o dia, e quase que aposto que os leitões, os cozidos de grão, os salgados, enchidos, e todas as outras iguarias que por ali se expunham, também foram pensados antecipadamente, mesmo que os restaurantes tivessem vazios. 
O tempo ajudou bastante e mais que o tempo (recordo o ano passado, que até choveu e ninguém arredou pé) o cartel era apetecível e claro o convívio taurino que é do mais saudável que existe. 
Polémicas à parte, sobre as quais tenho a minha opinião, mas não me vou pronunciar, para não ferir susceptibilidades, até porque gosto de toda gente e respeito o feitio e os receios de todos. 
O Cartel, não podendo ser o "meu" Manzanares... qualquer coisa cai bem, sendo que já estamos todos sedentos de beber Olés, de tal forma, que a ovação da tarde, foi para a banda filarmónica, julgo que Mouranense. 
Do espectáculo propriamente dito, e porque estou ali para fotografar, o que me ficou na retina foram 3 lides (ainda que as outras todas tenham sido limpas e regulares) mas estas foram as que trouxe comigo, El Cid, brilhante e a mostrar como se faz, o nosso Juanito que está enorme em todos os sentidos, e o Salgueirinho a cavalo. Excelentes estes 3 Senhores. 
Quanto ao que aqui me trouxe, porque como escrevi no parágrafo de cima, sou fotografa, não escrevo, mas como é ou deveria ser do conhecimento público, fiquei sem um dos meus pilares aqui no site, o meu cronista há já 6 anos, um Forcado de eleição, um aficionado como poucos e um Grande Homem!  José Luis Figueiredo. Por ele escrevo estas linhas. 
Porque infelizmente, quis Deus leva-lo para junto de si, há pouco mais de uma semana. 
Ele que andava já a fazer planos para ir a Mourão e à Granja, que é já no próximo dia 8... 
Mas só eu é que senti ali a tua falta meu Zé, porque nem ao teu minuto de silêncio tiveste direito... esquecimento imagino, mas a mim doeu... e quem não se sente ... não é filho de boa gente! E os meus pais, são do melhor que há.

Parabéns ao ganadero, Dr. Joaquim Grave, que triunfou também pelo curro e a todos os aficionados que abriram a temporada como deve de ser... ESGOTADO! 

Até sábado na Granja.

Maria João Mil-Homens 

 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS