sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

ENTREVISTA A PEDRO MARIA GOMES CABO DO G.F.A. DE LISBOA - PROTOIRO


Depois do México, agora o Dia da Tauromaquia. Como definem este final/início de época?


GFAL: Terminámos a época no México de forma muito positiva e foi o culminar de uma temporada ao nível dos nossos 75 anos de história, de êxitos e sucessos. Iniciar a época na nossa Praça e num dia tão importante, é um motivo de orgulho e uma motivação extra para todos nós.

Quantos elementos tem neste momento o GFAL e qual a sua média de idades?

GFAL: O Grupo neste momento tem cerca de 25 elementos e com uma média de idades de 23 anos.

Enquanto Grupo representante da Capital do nosso País, que mensagem deixam às pessoas que visitam o Campo Pequeno neste dia?

GFAL: De forma lógica fomos convidados para pegar o festival no Campo Pequeno neste dia e como representantes da Capital, mas acima de tudo como membros activos da Festa, gostava de deixar uma mensagem a quem ainda não decidiu marcar presença: todos temos a OBRIGAÇÃO de marcarmos presença, pois na minha opinião é o Dia da Tauromaquia mais importante desde a sua 1ª realização. O ambiente actual em volta da Tauromaquia deve ser defendido por todos nós e a melhor forma é participarmos e esgotarmos o Campo Pequeno no dia 29 de fevereiro. Aos que já decidiram visitar o Campo Pequeno nesse dia, espero que desfrutem e aproveitem ao máximo o dia e se possível que se façam acompanhar das suas famílias.

Vão fazer uma demonstração de pegas e explicá-la ao público. O que pode esperar quem vai assistir?

GFAL: Sou muitas vezes questionado por aficionados ou até pessoas que não são aficionadas, mas que gostam da figura do Forcado, sobre o modo da nossa preparação para as corridas, os treinos. Será uma oportunidade para o aficionado presenciar um lado menos aberto ao comum dos aficionados, ficando assim com uma noção de como, por exemplo, é a iniciação de um jovem e o contacto com gado bravo, ou como por exemplo,
se devem posicionar e o objectivo dos 2ºs ou 3ºs ajudas.

Porque acham que as pessoas não podem perder o Dia da Tauromaquia?

GFAL: O Dia da Tauromaquia é mais do que o dia do Aficionado, pois envolve outras artes. Durante o dia existem diversas actividades, não é só o festival taurino, é um dia aberto a quem é apaixonado pela Cultura de Portugal, tendo a oportunidade de escolherem ao que querem assistir. O rescaldo do Dia da Tauromaquia deveria ser aproveitado de forma honesta pelos representantes políticos e ser uma oportunidade da PROTOIRO mostrar a força da Tauromaquia, com estatísticas e dados que comprovam que a Tauromaquia não deve ser marginalizada, devido a acordos, favores políticos e gostos pessoais.







 
Copyright © 2013 PORTA DOS SUSTOS